Chiquito's FotoPage
Because a photo is worth a thousand words
By: Chiquito Chaves

[Recommend this Fotopage] | [Share this Fotopage]
[Archive]
Sunday, 21-Mar-2004 00:00 Email | Share | | Bookmark
CIDADE DOS ANJOS

 
CIDADE DOS ANJOS

Angel...
Miguel,Gabriel
Doce arcanjo
Dos céus voarás ao meu lado
Protetor
Conselheiro
Amado
amarás
Mesmo sem ser solicitado
Quando meu desespero
Solicitar o desterro
Surgirás sobre o meu peito
Eleito de Deus
Ou do diabo
Se por erro eu merecer ser aniquilado!
Formosa criatura
Curas de todas as doenças y desventuras
Acredito que seus feitos y guardas
Não se resumem a uma luta de espadas
Estás...
Além do bem e do mal
Nunca esquecerás da minha humanidade
Sem sua presença sagrada
Nunca terei a eternidade, mesmo sendo seu vassalo...
Sempre será meu homem pássaro
Aguardarei sua chegada, amarei...
Na luz ou na madrugada
Ouvirás os meus anseios
Y receios
De um coração embriagado
virá rápido ficar ao meu lado...
(oração encontrada junto a um bêbado caído, na porta do cemitério dos bandidos, em Mesquita)


Thursday, 19-Feb-2004 00:00 Email | Share | | Bookmark
_ SCARE IN BRASÍLIA_

 
_ SCARE IN BRASÍLIA _

"Aims y rifles"
(INTERESTS Y JURAS FOR YOU FMI)

"2,3,4,5, el amor,
de mi eternidad... "

The moon was pushed forward and back...
With the belly or with irony.
I balance of the hours... Beyond sea... Trips... Waves...
Now and olás... Olas /
Waves of I radiate... Tvs... Internet.
General Globalizacion.

"los labios son las compañías que la vida sofocada"

_ Passed at the dungeons, the rebellious youth's memories...
Rains of sand and of hate - Chuviscose risks... Fine Swiss - Albino... Webs of spiders Nazi murderesses... Doctors of the fear and of the cowardice.
Historical scenery of the cruelty...

it "recovers la mouth for hablar con voice hueca... "

It snowed, cold landscape... Awful scene of the terror. Tortures and interrogations.
Red faces/ blood... Dreams/ nightmares...
Saaras - Sarabalas... brilliant Explosions / Of the wars... In the silence of the voice /
Enemies of the peace, of the pharaoh immortal, ancestral...
Prague of Egypt... Died, hung by the pain, for the scream... (cont.)

"La belal mujer... la mujer “Totally beautiful”... el nude Liar
en la bañera... "

The infidels demanded alone shouts, with shocks and clubs of macaws: - Names? Addresses? Passwords y rages? Everything wants that you know... we Go say...
_o silence the killed_

"Flooding of crimson roses... "

Executioners of Sumérios, agents of the evil... Coconut trees of the beyond...
Kidnapped Sabinas and rescued / invisible Deaths and the exile...

One "En
ellos if distant casarán / la virgen... "

To accompany the light for the trail... I Shine that shine
and
the sky lends, in four phases...

"los pechos sólo suyo
el femenino... "

it appears for the openings, of the windows... Dark rooms...

"con su aimed at mundane of one
el crystalline prism... "

In the tavern...
Table formed formerly by order of 4 aces
y
1 coringa...
They remained now in that episode, 5 ghosts and 1 alive desire or also died by the consumptive killer.
They sought for the "Melancholy", funereal diva, resident of the graves, gift of the cemeteries.
Lewd voice, hidden, mysterious erotic y... Their fetishes were scarves, veils or pearl necklaces... opios, wines y absinth... ECSTASY, ecstasy...
Night. Centuries of the evil...
Of bar in bar, without love, without firmness... Inebriated.
Only accompanied of his/her only company,
the cough / /her lady / her asthma...
Their weapons the poetry.
Lying in the bed of that house,
located in the "Ghost City", of the romantic soul.
(Estate to be divided among the heirs of the throne / of the rival factions)
CRAZY OF STONE / concrete words / spells of the letters / languages in the teats / Siamese language / ruts of bed y table / eyelashes / parrots / brunettes / they are black / healthy... / because they are / saints... they Dye glances / they undo / homes solar y / positivistas sullen y... Strange gutters / they masturbate the falus about who speak in your dreams y desires.
"... If is true that the left represents people, or for them it is acted, what do defend the new, what do want to modernize the State, what do want the fairest State to turn, what do want to do with what the State it accomplishes their functions of guaranteeing the equality of opportunities the all of the people, then why to have fear or shame of being left, why to have shame or fear of doing a confrontation among the one what we thought and the one what them, the rights ruralists, entreguists and financial they think? ".
(THE LEFT AND TO MODERNIDADE-LUÍS INÁCIO "LULA" OF SILVA. 1998).


Sunday, 15-Feb-2004 00:00 Email | Share | | Bookmark
The couple of the 9th floor.

 
"... Their lips are my lips, my lips are
their lips, my kisses are their kisses, yours
kisses are my kisses... " Every love in this
life is our life / all intimacy is ours
intimacy"
"Their hair and skin are my my heat
sensibility / protection... Their my eyes
imaginary / my nose sense of smell... Ears? Mine
sounds... Heart? My love / my passion / mine
he/she begs... my body spirit / my soul life / my passion"
Lady of our lives... That future existences
they would persist
in the eternal moments of the love
Tears and smiles
The scene of the real kiss...


Friday, 13-Feb-2004 00:00 Email | Share | | Bookmark
Quem será esse cara?

 
Quem será esse cara?

_NA CORDA BAMBA_

“O QUE É POLÍCIA? O QUE É BANDIDO?”
QUEM SERÃO O’SERIAL KILLERS DA SOCIEDADE Y DA CULTURA?

“Las armas convencionales matan a más de 500.000 personas cada año: una cada minuto. En el mundo hay 639 millones de armas pequeñas (es decir, una por cada diez personas), fabricadas por más de 1.000 empresas en al menos 98 países. Se calcula que entre el 80 y el 90 por ciento de las armas pequeñas ilegales parten inicialmente del comercio autorizado por el Estado.”.

Mais uma vez a sociedade civil do Rio de Janeiro (ler Brasil) se questiona sobre sua segurança. Quem é o verdadeiro marginal? O policial travestido com a permissão do estado corrupto? Os “traficantes de drogas”, escondidos y armados por essa própria polícia?
Na madrugada de terça-feira, “POLICIAIS” invadiram o Morro da Rocinha, para procurar “BANDIDOS” y mais uma vez civis foram executados. Nessa exótica y perigosa batalha, já são contabilizados 3 mortos em menos de um mês naquele local, todos trabalhadores.
No início da semana, na delegacia concentradora de presos da Polinter, Rio de Janeiro, 50 detentos saíram tranqüilamente pela garagem, após derrubarem a parede da cela em que estavam. As câmeras de vigília estavam com as imagens congeladas, os responsáveis pela delegacia “não viram nada”.
No presídio de Bangu, presos usam celulares entregues pelos próprios agentes aos que ali cumprem pena y de suas celas fingem estar em seus redutos do crime y ameaçam matar ou seqüestrar comerciantes y empresários do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Paraná y Bahia. Os agente’são cúmplices que farã’o serviço de dar continuidade aos achaques.
Um dentista é assassinado em São Paulo, por 6 “POLICIAIS MILITARES”, apenas por ser negro.
Enquanto digitava essas linhas, ouvi daqui da minha casa no Méier, um bairro do subúrbio do Rio de Janeiro, cerca de 20 tiros. Minha companheir’achou qu’eram foguetes, depois meu filho chegou y disse: -“Mataram dois, ali na esquina”.
Para mim virou rotina, há 3 dias mataram uma menina... Quem?
A pergunta fica sem resposta, quem serão os verdadeiros criminosos nesse país tão injusto y excludente?
Mãe Catirina, escrava de um latifúndio nos arredores do Maranhão, estava grávida y desejosa por comer língua de boi, não seria de um gado qualquer, teria que ser do mais querido boi do seu senhor. Pai Francisco, fiel marido y progenitor daquela futura criança, matou o animal para satisfazer à mulher. Foi descoberto, seu destin’o pelourinho para ser açoitado. Só um milagre o livraria da morte, o renascer do bicho morto. “Misericórdia, misericórdia, deuses y feiticeiros de minha mãe África me salvem, me ajudem”... Clamava o pobr’escravo. Eis que por encant’o boi levanta-se y ressuscita.
É a festa do boi, que vivo ao seu proprietário voltara...
“Pai Francisco entrou na roda tocando seu violão: “tororomtonton”... Vem de lá o delegado, Pai Francisco foi pra prisão...”
Até no imaginário da cultura brasileira, está implícit’a imagem da injustiça social y da inversão dos valores do ser humano. Lendas y cantigas provam que o poder da LEI BRANCA, isto é, a dos dominadores, antigos’senhores d’escravos. A imperatriz da ordem social previa, não haveria justiça y sim exclusão, corrupção y preconceito...
A ordem... A desordem, monitora de quem? De quê?
O arbítrio usa máscara, não tem cara, usa máscara para s’esconder y muitas armas para mandar, tem poder para prender, torturar, matar, destruir y exterminar... Desconhecem seu nome... Chamados por “U ÔMI...” “US ÔMI...”
Silêncio na comunidade...
Portas y janelas fechadas, em cada canto do gueto o medo y o perigo se namoram, beijam-se violentamente y morrem antes d’orgasmo. Logo, logo o barulho da destruição é ouvido... Rajadas/ granadas... Paredes atingidas, vidraças quebradas. Mortos? Ouvem-se choros y gritos, ali estavam finitos uns corpos, outros...
Menino ou menina? Mulher ou homem? Jamais um policial bandido’u’marginal...
Não tinha’máscaras aqueles mortos, nem portavam armas, só os corpos furados y o sangue ainda quente, queimavam os olhos dos que olhavam, famílias y órfãos... Lágrimas, lamúrias... Mais um anônimo, um número... Outro morto. Outra morta...
Di’após dia y tudo continuava como sempre, injusto y indiferente...
Quem seria ou seriam os bandidos?


Friday, 26-Sep-2003 00:00 Email | Share | | Bookmark
manunegra planetfilesbr

A lua clandestina

<b>Beleza... O “Prazer” é nosso...
Y SERÁ CONQUISTADO
POIS O CORPO DELE SE ALIMENTA...
NINGUÉM VIVE SEM AMOR...
CONTRA OS PRECONCEITOS ESTÉTICOS Y LITERÁRIOS...
POR UMA SOCIEDADE LIBERTÁRIA...
HÁ ALGO ALÉM DOS LIMITES IMPOSTOS PELOS ESTADOS Y INSTITUIÇÕES TOTAIS...
NEM DEUS... NEM A FALÁCIA DEMONÍACA INVENTADA...
PODEM IMPEDIR O ACESSO À LIBERDADE DO CORPO INDIVIDUAL...
PELO FIM DA MISÉRIA SEXUAL...
GOZAR NÃO É PECADO... NEM PROIBIDO...
É UM DIREITO DA HUMANIDADE...


ECLIPSE LUNAR...
Onde oculta derrama seu desejo.
Segredo, sim segredo.
Clandestina, escondida, compartilha seu gozo ao astro rei.
Predestinada companhia, por dias, séculos, nem sei quanto tempo.
So’uma flor aqui na Terra, apaixonada pelos raios mágicos de seu Hélio.
Que me dá vid’aroma e amor.
Também quero um pouco daquele que partilha sua luz,
em delírio’solares.Ventos e tempestades.
Hoj’escondida gozas, como gozas seu orgasmo, musa dos apaixonados, dos loucos, bêbados, drogados, poeta’solitários ou acompanhados e de quem’ais a vê, e jamais vão s'esquecer.
Lua cheia, nova, crescente e minguante.
Eclíptica sim, mesmo que tal vocábulo não exista na língua,
Passa a existir para definir seu ci’oculto.
Escurecida, desaparecida, derrama encantos ao favorito,
Lambe o seu gotejar refletido, paisagens, paisagen’sem direção,
Sem sentido. Rastros lunares.
Enquanto eu aqui uma flor adormeço.
Hoje, ontem ou algu’momento dos anos ciganos não esqueço, de que do amor dele mereço e preciso, vivo a esperá-lo desde cedo...
Até amanhã eclipse...

Lua

Linda lua, amante que brilha no céu.
Sou uma flor do campo aqui na Terra,
Púrpura, encantada e apaixonada!
Por um astro de seu universo.

Deusa do amor, linda lua, amante que brilha no céu.
Avise-o que estou aqui, no campo úmido, pelas relvas da saudade...
Púrpura, encantada e apaixonada!
Traga-me o astro de seu universo,

Linda lua, amante que brilha, no céu.
Sou uma flor do campo aqui na Terra,
Púrpura, encantada e apaixonada!
Pelo brilho do astro de seu universo.
RESPOSTA DO SOL À FLOR
(EU Y ELA)
Amores são doces licorosos...
Saboreá-los será divino y requintado…
Algumas vezes rapidinho... Outras y várias outras... Ternos...
Muitas ternuras / Agora... Horas quentes ardentes...
Só esfriam na boca.Embebidas em salivas úmidas lubrificantes.
Amantes por telefone...
Flagrantes sinceros/ Amores ligeiros...
Eternos...
Sejam por cabos ou contatos cibernéticos binários...
Duais escutas... Sonhos... Desejos...
Bebe-se amor com a boca...
Nos bicos dos seus seios róseos pequenos y desejosos...
Mulher...
Magnífica... És minha noite/ meu dia...
Alegres campos de verde tropical...
Dourado pelo sol do sul antártico/
Gelado em suas mãos y quentes em seus corações...
És minha musa música y poesia fantástica...
Passastes / assumistes o posto de dona...
Senhora dos meus poderes... Queres?

“...O novato chega ao estabelecimento com uma concepção de si mesmo que se tornou possível por algumas disposições sociais estáveis no seu mundo doméstico. Ao entrar, é imediatamente despido do apoio dado por tais disposições. Na linguagem exata de algumas de nossas mais antigas instituições totais, começa uma série de rebaixamentos, degradações, humilhações e profanações do eu. O seu eu é sistematicamente, embora muitas vezes mortificado...”
(GOFFMAN, ERVING – MANICÔMIOS, PRISÕES E CONVENTOS)

---x---

Moon

Beautiful moon, becomes friends that shines in the sky.
I am a flower of the field here in the Earth,
Purple, charmed and passionate!
For a star of his universe.
Goddess of the love, beautiful moon, becomes friends that shines in the sky.
If you sight my dear star, that thereabout walks,
Inform him that I am here, in the humid field, for the grasses of the longing...
It swallows from turn to his universe,
Linda moon, becomes friends that shines, in the sky.
Tell him that shines for me again.
I am a flower of the field here in the Earth,
Purple, charmed and passionate!
For the shine of the star of his universe.

<a href="http://www.quicktopic.com/23/H/arpGw26iy8k" >COMENTE AQUI!</a></b>


[Archive]

© Pidgin Technologies Ltd. 2016

ns4008464.ip-198-27-69.net